Iniciativas de empreendedorismo social são tímidas em Ribeirão Preto

Uma das ideias do consultor do Sebrae, Leonardo Molinar, é o uso mais frequente dos 'empreendimentos sociais cruzados'

    • ACidadeON/Ribeirao
    • José Manuel Lourenço
Divulgação
O consultor da unidade do Sebrae de Ribeirão Preto, Leonardo Molinar (Foto: Divulgação)

 

Ribeirão Preto precisa despertar para a importância que atividades ligadas ao empreendedorismo social podem gerar não apenas para a economia local como, também, como forma de redução dos desequilíbrios sociais.

Essa é a opinião do consultor do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Leonardo Molinar.

“Esse tipo de iniciativa, na minha opinião, ainda é muito tímida em Ribeirão Preto, sem grandes articulações com atores (Acirp, sindicatos empresariais, Ciesp, Sebrae, prefeitura, universidades etc.), que poderiam potencializar tais projetos”, disse.

Raio X

Segundo ele, o mercado em Ribeirão Preto para negócios autossustentáveis (comércio de bens ou serviços) e direcionados para a inclusão social de populações de baixa renda (55% da população da cidade tem renda inferior a 5 salários mínimos) chega a 106 mil domicílios. “São pessoas que poderiam ter acesso mais amplo a educação, saúde, alimentação, mobilidade e qualificação profissional, entre outras”, completou.

Poder público

Uma proposta apresentada por Molinar diz respeito à participação do poder público municipal como articulador de políticas locais de incentivo ao empreendedorismo social.

“Um papel importante do poder público é o seu poder de arregimentação e mobilização, quando convida os protagonistas do empreendedorismo - em geral - para se juntarem em torno de bons projetos”, afirmou.

Empreendimento social cruzado

Uma das ideias sugeridas pelo consultor do Sebrae, Leonardo Molinar, é o uso mais frequente dos “empreendimentos sociais cruzados”. “Basicamente, é qualquer tipo de empreendimento social originado de outros empreendimentos normais altamente lucrativos, que oferecem produtos ou serviços para consumidores de alta renda e que, ao pagarem preços normais por seus produtos/serviços podem subsidiar os preços de produtos similares para as camadas menos privilegiadas”, disse.

Um exemplo citado por ele foi o de um restaurante sofisticado que poderia cobrar pelos seus serviços ‘gourmet’ preços típicos desses serviços para as classes AB e, ao mesmo tempo, fornecer alimentos saudáveis (com outra marca) a preços acessíveis para pessoas de camadas sociais menos favorecidas.
“Assim, para viabilizar um empreendimento social pode-se empreender um negócio tido como ‘normal’ que subsidiará ou sustentará um projeto social”, completou.

15 de setembro

O Agenda Ribeirão será realizado no dia 15 de setembro, a partir das 8h30, no auditório da Faap (Fundação Armando Alvares Penteado). O endereço é: avenida Independência, 3670 - Residencial Florida. A entrada é gratuita e a participação aberta a todos, após a apresentação dos convidados.


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.